O astrólogo Alexey Dodsworth afirma que as casas astrológicas são as zonas de experiência, onde as coisas acontecem.

 

Ou seja, enquanto os signos representam “como” acontece e os planetas representam “o que” acontece, as casas astrológicas indicam “onde” tudo ocorre.

 

As casas astrológicas representam as áreas práticas da vida. São definidas a partir de uma divisão do céu em doze partes, cujo o ponto central é a Terra; especificamente o local onde você nasceu.

 

Cada uma dessas casas é ativada por um signo e também pode estar sendo ocupada por um ou mais planetas, dependendo do dia e da hora do seu nascimento.

 

Elas funcionam como portas e compõem a análise astrológica. Confira abaixo seus respectivos significados:

 

Casa 1 (também conhecida como a casa do ascendente): essa casa representa aquilo que cada um vê como identidade. Ela representa a nossa individualidade, o nosso comportamento diante da vida.

 

Casa 2: essa casa mostra como você atribui valor às coisas do plano material, sua relação com o dinheiro e vida financeira.

 

Casa 3: é o setor que representa a relação de cada um com o meio ambiente imediato: nossos irmãos e vizinhos, as viagens curtas, o pensamento concreto.

 

Casa 4: a raiz da vida de cada um, o núcleo familiar e, também, a área que representa uma visão geral do plano de vida de cada pessoa.

 

Casa 5: o que cada um cria a partir da consciência da própria identidade; o setor que representa o potencial criativo de cada um, assim como os filhos.

 

Casa 6: representa o dia-a-dia, a rotina de cada um e, por conseqüência, a saúde e como cuidamos dela.

 

Casa 7 (também conhecida como a casa do descendente): representa o que cada um busca no outro, o que cada pessoa "puxa" em suas parcerias (casamentos, associações e também inimizades).

 

Casa 8: o “compartimento secreto da alma”: sexo e morte estão aqui interligados, uma vez que o sexo é como uma pequena morte, e a morte é como nosso último grande orgasmo.

 

Casa 9: o setor que mostra nossa relação com um meio ambiente mais amplo: os parentes distantes, as viagens longas, o pensamento filosófico.

 

Casa 10 (Meio do Céu): o papel que cabe a cada um na sociedade, o chamado que cada um recebe para realizar algo que servirá a um todo maior.

 

Casa 11: são os ideais mais amplos de cada um, assim como as associações que fazemos em nome desses ideais: as amizades.

 

Casa 12: esse misterioso setor revela, principalmente, a sombra sabotadora secreta que cada um carrega, assim como as condições fundamentais para que cada vida possa alcançar sua realização.