Termo cunhado por filósofos antigos para designar modelos pré-existentes a todas as coisas materiais. Numa perspectiva religiosa, o termo "arquétipo" é entendido como "as ideias de Deus". Numa perspectiva psicológica, sobretudo de corrente junguiana, "arquétipo" significa um modelo imaterial que se manifesta nos processos psíquicos humanos. Deste modo, podemos compreender a morte como um arquétipo, assim como o amor, a vida, a beleza, e qualquer outra idéia abstrata que se expresse na vida humana de forma concreta.